setembro 01, 2007

Tudo o que é preciso para viver



Esqueci o tempo que nos foi comum como se um derrame enevoasse, no meu cérebro, a luz do filme passado.
Procuro recordar-te com imagens nítidas e coloridas, mas o álbum é antigo e o cinzento domina, dissipando-se a nitidez quanto maior é a saudade de ti.
Encontro apenas palavras avulso que leio de páginas desbotadas da minha mente. Já nem conheço quem as tenha registado.
Anseio ouvir o timbre da tua voz em casa, numa rua qualquer (deste local que escolheste para viver) em que já não me lembro se ouvi...
Esqueci o som da tua voz que me esforcei tanto por gravar, porém as formas de registar o som são já tão distantes das usadas e conhecidas por ti.

Procuro os teus olhos iguais aos meus, com a mesma luz, com a mesma cor, mas não basta olhar-me ao espelho.
Encontro, neste tumulto, apenas lágrima e saudade da segurança do teu colo, do teu embalar.

Anseio que chegues para conseguir finalmente adormecer e ser capaz de acordar quando tu acordares, para me despedir (só por mais um dia).

Se não chegares, tenho que crescer, cuidar de todos e não posso adormecer.
Na tua ausência, não voltarei a brincar, a falar, a sorrir demasiado, tenho que me concentrar e ser responsável para te poder voltar a ver.
Assim, não confio em mais ninguém porque é contigo que eu quero aprender, arriscar e brincar.

Aguardo que voltes e me dês a mão para atravessar a estrada, me ponhas às cavalitas, me dês um doce, me eleves no ar, me chames todos os diminutivos, me adormeças na tua segurança.

Chhhhh....! Não posso conversar sobre ti, porque não quero magoá-los com a saudade que também sentem. Não posso falar de ti porque não chorei todo o mar que devia. Não posso esquecer-te porque sou parte de ti.

Permanece em mim, segreda-me o caminho.
É importante que voltes, quero ser a criança que perdi e ainda não me ensinaste tudo o que é preciso para viver.



adc

4 comentários:

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

Tem momentos que as palavras nos fogem, este é um deles.

Deixo-te um sorriso...
Até outro instante

Rita disse...

Só para dizer que li este post atenciosamente e ADOREI.

Anónimo disse...

giroooooooooo!!

andreiargperes@hotmail.com disse...

olá olá
É tarde mas, senti uma vontade enorme de ler um dos teus poemas... E, nem acredito! Ao clicar neste, não imaginei qual seria o tema, e ainda a meio dele já me saltava uma lágrima...

Vi-me completamente retratada.
Algo que tento adormecer, salta, acorda dentro de mim...
Grande emoção!
Bigada! Não pares...

Andreia Peres