setembro 21, 2007

Ensaio à volta da espera 4


Estático, na sala de espera, aguardando a felicidade... grandes eventos, fortuna, euforia.
Aguarda por outros que esperam como tu, adiando o sorriso, a lágrima, a paz, a dor. Espera que alguém por ti sinta e viva, chore e ria.
Espera para ir ou para voltar, sorrir, luz, calor, amar.
Espera pela companhia... homens e mulheres esperam por ti, por mim, por eles. Aguardam os hábitos, costumes, amarrados a rotinas que esperam que terminem.
Na sala de triagem, acredita que serás o escolhido pela sorte, pelo acaso, pelos teus lindos olhos para usufruir melhor do que os restantes, desta viagem.
Espera pelo bem-estar, paz interior, saúde, descansar. Que o tempo se mova cá fora, quando devia mover-se lá dentro.
Na antecâmara da vida, espera sem a sentir.
Espera, espera que "melhores dias hão-de vir".
Na sala de espera, no banco de jardim, no café da esquina, acredita na alma gémea, no grande amor.
Que a noite se acabe e o sol aqueça.
Aguarda a saúde, ausência física e psicológica de dor.
À janela entreaberta, de cortinas mimosas e seguras, o coração palpitante. Um vaso florido a completar o quadro, espera pelo amor, amante.

adc

2 comentários:

MiguelGomes disse...

O vaso florido, faltava o vaso florido...

Ana disse...

Anocas, gosto mto do que escreves, espreita o meu...saudades