janeiro 26, 2009

Ilumina o céu nocturno, o céu limpo.
Altera o meu ritmo, rodeia-me e persegue-me.
Exibe sempre a mesma face, a mesma expressão.
Pronuncia-se e sorri conforme o humor.
Inquieta-me nessa luz emprestada e rouba-me a segurança da sombra.
Desprotegida provoca, atrai... Inventa marés.
Uma face oculta brilha sem ser olhada.
Vou repousar nesse mar de tranquilidade... Cabeça na lua e molhar os pés.

adc

2 comentários:

José Miguel Gomes disse...

A cabeça na Lua é já um mar onde podemos banhar os pés...

Mαğΐα disse...

Um mar de luar a molhar os pés é serenidade a embeber a alma...

Um beijo...