março 21, 2008

Sigo

Faço a mala, viajo para longe de mim,
distante das pessoas que sou.
Rasgo os papéis que escrevo, rascunhos que interpreto
queimo-os no cinzeiro ou a céu aberto.
Faço a mala e digo silenciosamente que não estou,
que vou, rota incerta, estrada aberta, apenas caminhar,
até perder o vagar sem rumo,
assumir um único trilho apagando rastos, sinais, vestigios ou só voltar costas.
Encontrar o equilíbrio, nível, o fio de prumo.
Descobrir-me algures entre decisões
com a bagagem leve, sem necessitar de abrigo.
Faço a mala, por outro atalho, sem pressa... sigo.

adc

5 comentários:

José Miguel Gomes disse...

O fio de prumo és tu, quando centrada no que és e sim, sempre sem pressa... :)

Fica bem,
Miguel

carla granja disse...

passei para te ler novamente
quando puderes passa por ca
bjo
carla granja

.*.Magia.*. disse...

Sem pressas vim... e fiquei!!!!
Um beijo...

.*.Magia.*. disse...

Sem pressas vim... e fiquei!!!!
Um beijo...

.*.Magia.*. disse...

Ups, Pura Magia... e vezes :p