fevereiro 10, 2008

Há palavras que nos beijam

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.
Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.
De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.
(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)
Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neill

4 comentários:

Minerva disse...

Há palavras que nos marcam...
Há palavras que nos descrevem...
Que haja sempre palavras...
Eu adoro ouvi-las e proferi-las...

Bjs

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

Há beijos que nos beijam.

Até outro instante

José Miguel Gomes disse...

Que nos beijam, amam e nos fecundam de silêncio.

Fica bem,
Miguel

carla granja disse...

sempre bom passar pelo teu blog e te ler . passo para te desejar um bom fim de semana . eu estou de ferias no canada e volto em maio pa portugal
se quiseres passa [pelo meu blog
bjo
carla granja