outubro 18, 2006

Quero partilhar!


Como se fosse (s de linho doce) Agosto... chego sempre atrasada... quase em tudo na vida.

Árvores (no deserto) de amizade verdinhas e frondosas permaneçam e surjam nas nossas vidas.

Mulher (da erva) é sinónimo de mãe, de habilidosa, corajosa, voluntariosa como tu.

A Moda (da lavoura) pode passar, voltar outra vez, mas espero que tu fiques.

O poder de diálogo, de abertura, de confiança, de dedicação, marca a tua presença.

A uma escrava que lhe ocultou o sol, não importa, porque a lua e o mar são igualmente reconfortantes.

Saias ou calças, saias ou fiques, escolho que fiques por perto.

Conta-me contos, a mim ensina-me a contar e às tuas crianças abre janelas.

E alegre se fez triste... espero que não, escolho o itinerário inverso para ti, porque eu ficarei mais alegre também.

O que ficou no ar parado: a confiança e segurança que tenho em ti, o querer fazer mais para te apoiar e não chegar lá, a amizade para além do quotidiano profissional.

Poema é tudo o que fazemos no espaço da nossa profissão, é tudo o que desejamos alcançar, porque assimilámos como uma missão a docência.

Poema nem sempre é estar de acordo, pode ser o caminho para o consenso ou o equilíbrio, o caminho para tudo na vida.

Mas, que não seja um poema de palavras sofridas e negras. Para ti quero um poema acompanhado da melodia de uma viola, de um piano com o poder de sorrisos à mistura e todas as cores do arco-íris no teu olhar.

adc

7 comentários:

Papoila disse...

Ana:
Grata pela tua visita.
Por favor continua a revelar-nos o que tens escrito no caderninho "perdido". Achei este teu texto de uma sensibilidade marcada e uma ternura "Saias ou calças, saias ou fiques, escolho que fiques por perto.Conta-me contos, a mim ensina-me a contar e às tuas crianças abre janelas." Continua a contar-me histórias amiga!
Beijo

Pink disse...

...
que indecisão!...
amo ou esqueço...
declaro ou abafo...
abro ou fecho a porta...
convido ou desapareço...
sou...eu...ou finjo...
(bom fds)

Unicus disse...

Um retrato fiel da indecisão do mundo que criámos. Voto para que ele fique. E que consigam uma sinfonia perfeita, alegre, bela, que perdure para além do tempo.
Beijo

MiguelGomes disse...

Belo...

Bom fim-de-semana.

Fica bem,
Miguel

Goncalo Veiga disse...

Encontrei este blog por acaso e pensei em deixar uma mensagem para dizer que gostei muito de vários poemas que aqui li...

Um amigo meu e eu temos fazemos por vezes recitais de poesia um pouco por todo o país. Se quiseres dar uma vista de olhos pelo nosso site é http://poesiaparaninguem.tripod.com e também temos um blog onde geralmente colocamos os poemas de que mais gostamos...

Sem bem-vinda e parabéns pelo fantástico blog! :)

Catarina disse...

lindoooooo!

Cabeca-de-Ventuh disse...

palavras fortes...palavras inteiras, mas em continuidade de construcção...pressentimento (meu) de saber um sentido profunso destas palavras....mas qualquer que seja ele....sempre belo é